Editora Livre Popular Artesanal

"Mesmo que seja facil e divertido, estamos cansados de sermos espectadores. Queremos fazer alguma coisa, queremos fazer a nossa cultura ao invés de somente comprá-la."

Group Material

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Lançamento dos livros "Mínima Memória do Mundo" e "A Mineirinha e outras histórias"







Prezados amigos e colegas
é com enorme prazer que a Lamparina Luminosa convida todos vocês ao lançamento dos livros:

MÍNIMA MEMÓRIA DO MUNDO

A MINEIRINHA E OUTRAS HISTÓRIAS


sábado dia 19 de maio 2012 as 19h

Livraria da Vila - Lorena


rua Alameda Lorena, 1731 - Jardim Paulista - São Paulo
(proximo ao metro Consolação - ver mapa)

telefone (11) 3062-1063

Bate papo com FREI BETTO, organizadores e autores dos livros.



A Mineirinha e outras histórias
O livro é composto por quatorze contos de quatorze alunos de uma turma do MOVA (Movimentos de Alfabetização de Jovens e Adultos).
Trata-se de uma coleção de lembranças, fragmentos de vida, momentos simples, mas marcantes, que este grupo possui. Momentos estes  bem conservados na memória de cada um e que a Editora Lamparina Luminosa ajudou a resgatar, reorganizar e publicar nestas páginas.
Todos os alunos, autores dos textos, vêm de outros estados do país por motivos diferentes. Há quem fugiu de extremas condições de vida em busca de trabalho, quem se mudou por amor e quem veio em busca de um sonho. Nenhum deles tem uma formação escolar, mas todos sabem falar da profunda experiência em praticar um ofício comum a todos: ser pessoa.
Esta coletânea de contos é uma preciosidade. Reúne a literatura de quem, na idade adulta, escreve pela primeira vez.
     Os relatos têm como fonte e matéria-prima a vida migrante e difícil de seus autores. Quase todos vieram de outros estados para São Paulo em busca de uma vida melhor. Percebe-se claramente a nostalgia dos tempos felizes de infância na roça, o lamento por abandonar a agricultura, o esforço por encontrar um lugar ao sol na cidade grande.
     São narrativas de quem nunca perde a esperança, apesar das adversidades da vida confinada na pobreza. Os sonhos jamais têm caráter de ambição, de riqueza, de poder. São todos na linha de uma vida digna: a casa própria, o emprego, a saudade da vida rural e dos familiares que lá ficaram.
     Esta é uma escrita que brota do coração, do chão árduo da vida, de evocações de quem, agora, experimenta como presente a vida atribulada da cidade grande – outrora sonhada como futuro promissor – e descobre que o passado na roça foi, apesar da carência material, de profunda felicidade espiritual. (...)
Frei Betto

O livro contém um vídeo documentário sobre o processo de construção dos contos.

Mínima Memória do Mundo é uma coletânea de poesias e contos, de trabalhadores e aposentados, que freqüentaram uma oficina literária durante oitos meses, a produção dos textos dessa obra  se deu ,principalmente, através  da redescoberta  de  relíquias pessoais  e de seus significados para cada um.
(...) Os textos reunidos neste livro, produzidos em oficina literária, revelam a autoria de histórias de vida, comoventes e reais, sem qualquer artificialismo estilístico. Depoimentos em forma de poesia e prosa que recuperam o fio da meada das muitas experiências vividas por cada um, da infância aos dias de hoje.
            As vozes colhidas nestas páginas nos alertam para a diversidade de visões de mundo que estão sedimentadas no cotidiano, no trabalho, nas relações afetivas, nos jogos de criança, nos contatos familiares, ou na descoberta das asperezas e maravilhas que nos tornam cidadãos.
            O exercício com a palavra, em suas variadas dimensões estéticas, permite que cada um, a seu modo, expresse com rara e clara beleza os episódios concretos que marcaram o duro aprendizado de existir. Ao dar nome, textura e sabores ao vivido, os escritores que aqui ensaiam seus primeiros passos no complexo universo das letras nos colocam diante de um espelho mais que revelador. A escrita nos irmana, demonstrando o quanto somos próximos nas diferenças, ou como as contradições e singularidades nos enriquecem e nos complementam.
            Assim, percebemos que uma simples furadeira, um doce de leite, uma foto antiga, uma viagem de Minas Gerais a São Paulo, um cenário nordestino ganham significados muito diferentes dos que guardamos na lembrança, reformulando nossa própria experiência com o real. (...)
Reynaldo damazio

O livro contém um CD áudio com textos recitados por seus autores.

Um comentário:

  1. Fátima Nieri Enedino17 de junho de 2012 18:45

    a minima memória, mas a mais pura na beleza da simplicidade sem contar o prazer de se reunirfalar sobre literatura e escrever, coisa que parecia até então impossível de acontecer
    chego até a perguntar: porque demorei tanto
    para para pensar poesia, e constatar que a vida pode se transformar numa poesia!!!

    ResponderExcluir